Savoss – Um Novo Cenário de RPG

Seguindo um conselho sólido adquirido através de diversas textos de outros desenvolvedores de RPG, para me manter focado nos limites da minha criação, respondi para mim mesmo uma série de perguntas sobre o cenário que estava prestes a conceber. Olhando hoje para as respostas, ficou claro para mim que elas representam a melhor forma de abrir o jogo com a comunidade.

Trata-se de um cenário para Savage Worlds, que testo a quase 2 anos e desenvolvo junto com Estevan desde de 2 de fevereiro de 2015. Estou desenvolvendo Savoss conforme narro minha campanha. Está tudo na Nuvem, mas chuto ter umas 100 páginas carecendo apenas de uma boa revisão.

E para finalizar a apresentação, recomendo a todos os desenvolvedores responderem estas perguntas da forma mais completa possível.

Com vocês, pela primeira vez, vamos falar sobre  Savoss

1. Do que se trata o jogo?

Savoss é um mundo que sofreu com a traição dos elfos. Com um Grande Ritual, eles anularam a magia dos seres civilizados e estilhaçaram seus deuses em milhares de pedaços, jogando todo o continente em um período negro de regressão. Com o tempo, graças à descoberta dos Humetais, a civilização voltou a florescer, mas precisa resgatar seu espaço hoje dominado pelo Selvagem, com suas criaturas violentas, agigantadas e mortais.

2. O que os personagens fazem nesse cenário?

Eles são agentes, o tipo de pessoa que aceita as tarefas mais difíceis e arriscam suas vidas. Em síntese, eles caçam, lutam, perseguem, matam, fogem, evoluem, compram, negociam, jogam, exploram, descobrem, estudam, desenvolvem, traem, sangram, e enganam. Geralmente se agrupam em organizações chamadas Agências ou atuam como freelancers. Podem operar no Selvagem ou na Urbe.

3. O que os jogadores e o narrador fazem?

Eles trabalham juntos para criar cenas memoráveis. Savoss possui ambientação tanto para a clássica exploração de masmorras quanto para a intriga palaciana/urbana. Além disso, eles caminharão juntos para libertar os personagens de suas falhas morais ou se afundarem mais ainda nelas.

4. E como o Cenário ajuda a alcançar isso?

Como dito, Savoss é separado entre a Urbe e o Selvagem. Existem poucos seres sapientes no continente, como se a Ásia inteira possuísse a população da Alemanha. Seus habitantes se acastelaram em grandes centros urbanos, as capitais, ou no máximo em pontos fortificados e cidades de porte médio. O Selvagem domina, mas precisa ser explorado. Os principais recursos para o desenvolvimento estão lá fora, e apenas um desajustado aceitaria contratos para arriscar seu pescoço.

5. Como a criação do personagem reforça o estilo de jogo?

Embora Savoss siga as regras de criação de personagens do Savage World: Livro de Regras, as raças são ligeiramente mais poderosas. Além disso, o grupo unido adquire um veículo para suas viagens e combates. Eu citei criaturas Colossais? O Veículo do grupo representa a união e a sobrevivência dos agentes.

6. Que tipos de histórias o cenário incentiva?

Em Savoss, enxergo dois tipos de histórias que podem ser abordadas. Uma campanha de caça a relíquias e bestas, com muito combate, perseguição, explosão e ação. Por outro lado, como a Urbe é grandiosa, é perfeitamente aceito a existência de agentes urbanos, traficando drogas, informação, pessoas de interesse e competindo com uma Agência antagonista. As duas situações também são conectáveis. Resumiria Savoss em duas “tags”: Sobrevivência e Traição.

7. Que tipo de comportamento ou estilo de jogo o cenário incentiva?

As distâncias são grandes, e a magia poderosa é basicamente inexistente. Não existem formas de se teleportar de um lugar ao outro, e nem todos os “Arcanos” do universo conseguem curar. É um jogo que incentiva a exploração e a gana de vencer apesar das adversidades.

8. Quais as responsabilidades do jogador e do narrador na credibilidade e narrativa?

Além dos Interlúdios clássicos de Savage Worlds, em Savoss incentivamos o personagem a escolher uma Falha moral para seu personagem, geralmente em forma de Complicação. Essa Falha MoraL é o alicerce inicial para a construção de sua personalidade. Já escrevi o que penso sobre históricos aqui. No mais, o peso da narração está entregue ao narrador. Apesar disso os jogadores podem utilizar a Regra de Ambientação “ALTA AVENTURA” (SW, p. 130) e as Cartas de Aventuras. Some-se a isso os Benes e você terá personagens bastante capazes de manipular a narrativa.

9. Quais são as ferramentas do cenário para manter todos atraídos, envolvidos  e participativos?

Acho que Savoss reforça muito o sentimento de união em um mundo onde ninguém mais é confiável (na Urbe) e sua vida depende do seu companheiro de armas (no Selvagem). Juntando a Falha Moral de cada um, espero ter o suficiente para um caldeirão de emoção e diversão.

10. Quais as mecânicas utilizadas no cenário?

Ele ainda é Savage Worlds, então as pessoas sabem o que esperar. Posso dizer que os antecedentes arcanos existentes são bem únicos, e que existe uma mecânica de itens mágicos “perecíveis” que perpetuam o ciclo de caça no Selvagem.

11. Os personagens evoluem no jogo?

Sim, eles evoluem, bem como seus equipamentos. Savoss possuirá um sistema monetário que auxiliará o narrador a dosar a riqueza dos jogadores. Apesar de começarem com um veículo simples, o universo possui dirigíveis, e o maior de todos entre eles é o Aerodraco, projetado para abater dragões. Voltando para o personagem, eu percebi que os livros básicos não apresentam nenhuma magia Lendária, então em Savoss apresento algumas. Existem novas Vantagens e Complicações também, mas poucas. Acho que Savage Worlds é bem servido de material para a progressão.

12. Como a evolução dos personagens reforça o tema do cenário?

Os personagens passam a dominar o Selvagem, ou pelo menos uma porção dele. Talvez deixem de ser freelancers ou empregados para criarem sua própria Agência. Talvez fundem novos povoados ou auxiliem em sua proteção. Talvez se cansem de viver nos centros urbanos e se sintam autossuficientes para viverem apenas no Selvagem. Existem segredos perdidos sobre a civilização antiga enterrados em locais monstruosamente perigosos. Conforme eles evoluem, seu poder de moldar o universo cresce, dando espaço para um bom fechamento de campanha. Por fim, Savoss tem sua dose de Super Vilões também.

13. Que tipo de sensação você quer passar para os jogadores que jogarem em Savoss?

Quero que sintam que o mundo é perigoso, e que eles precisam se manter unidos e estabelecer um nível elevado de confiança. Mas quero também mostrar que são frágeis frente ao Selvagem. Um senso de camaradagem, apesar de não passarem de um bando de desajustados.

 14. Qual parte do cenário recebeu maior atenção?

Acho que os itens essências, que são os itens mágicos perecíveis. Fisicamente, quero dar atenção às ilustrações. Como tudo veio da nossa cabeça, e Savoss não e um mundo clássico de fantasia, acho que as pessoas precisam ver muitas imagens para se sentirem conectadas com o mundo.

15. Qual a parte do todo que mais acha interessante?

Os novos antecedentes arcanos e a forma com que a magia é tratada. Ela está ligada ao passado, a preconceitos, às organizações existentes, e serve muito bem como moldadora da personalidade dos personagens que escolherem esse caminho. A tecnologia de Savoss também e bem divertida.

16. Onde seu cenário leva os jogadores que outros não conseguem chegar?

Seria pretensioso dizer que Savoss é um cenário único, mas gosto de pensar que ele despertara nos jogadores a sensação de pessoas normais fazendo seu serviço. Savage Worlds por si só faz grande parte do trabalho, mas quero acreditar que Savoss dará aos jogadores a chance de realizar feitos épicos atuando como personagens “normais” que não utilizam espadas lendárias, escudos e armaduras com múltiplos bônus e efeitos surreais. E que isso não os impedirá de salvar o dia.

17. Qual sua meta de publicação para este cenário?

Pretendo publicá-lo capa dura e com miolo colorido no formato A5 do livro básico de Savage Worlds. Mas o mais importante é vê-lo na casa dos rpgistas que curtem jogar. Nós podemos publicá-lo como material de fã para Savage Worlds, mas a meta é obter o aval da Retropunk e da Pinnacle Entertainment para publicá-lo como material oficial.

18. Quem é o público alvo do seu cenário?

Pessoas que gostam de ação e feitos heroicos. Savoss não é sobre terror e apesar de parecer mortal, os jogadores, via de regras, saem vencedores. Acho que é isso, nosso público alvo é aquele cara que gosta de sair da mesa comentando um movimento heroico ou aquela jogada de mestre que seu personagem tirou da manga e salvou todos.

Anúncios

6 comentários em “Savoss – Um Novo Cenário de RPG

  1. Interessante, eu também tenho um cenário com descrições espalhadas em folhas de caderno, txts e emails que se juntar deve bater umas 80-100 páginas também. Vou tentar responder essas perguntas para o meu cenário também.
    Valeu por compartilhar.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s